quarta-feira, 25 de junho de 2008

Ridícula


Sinto me ridícula fazendo isso...

Como é difícil escrever o que sinto... Como é difícil simplesmente falar. Sempre fui acostumada a guardar tudo pra mim... E sempre dizer “está tudo bem”, mesmo quando não está.

Mais difícil ainda é escrever isto sem que caia algumas lágrimas.

Não me sinto bem em saber que alguém pode ler isto, não tenho nem a coragem de exibir esse endereço com medo, isso mesmo, medo. Medo de que riam de mim, medo de me expor, às vezes, sinto me numa vitrine com todos passando e olhando. Não quero a pena de ninguém, não sou nenhuma coitadinha.

Antes escrevia cartas para mim mesma, e nunca mostrava a ninguém. Porém uma única me expus perante uma pessoa que considerava minha amiga. Mas ela me traiu, descobri que tinha sido usada apenas para o interesse dela. Ah como foi difícil nessa época, a única pessoa em quem confiava me traiu da maneira mais sórdida. Senti me um lixo de pessoa, um nada. Resolvi então que queimaria tudo o que tinha escrito, e assim fiz. E por anos fiquei sem escrever nada, nem pensamentos, nem poesias e muito menos sentimentos.

Hoje não estou bem, estou ferida. Estou me sentindo a pessoa mais descartável do mundo. Não é a primeira e nem será a última vez que isso acontece.

Posso dizer que a depressão me trouxe um “dom” e ao mesmo tempo uma “cruz”. Fiquei muito sensível! As pessoas podem simplesmente não acreditar, mas na verdade nem me importo mais com a opinião delas.

Tornou se muito fácil sentir a dor alheia, principalmente as dores das pessoas que amo muito, mesmo que elas não percebam. Já fiquei deprimida e mal porque amigos meus também estavam mal. Talvez eles nunca saibam disso, e também não direi, não tem porque. Seria como se eu dissesse “olha só como te amo, até sofro com você e por você”, meus verdadeiros amigos sabem disso.

Mas nem tudo é um mar de rosas, até mesmo o mar de rosas têm espinhos, e esses estão ferindo minha alma. Tudo fica mais intenso, uma palavra e meu mundo desaba e caio em lágrimas, e esse sentimento só cresce a cada dia, para o meu tormento.

Rejeição!

O pior sentimento que já experimentei. Não sei lidar com ele, mas se tornou tão constante em minha vida, que terei que aprender a conviver ele. Esse é o câncer de minha alma.

Um comentário:

Renato. disse...

Quero ser o primeiro a postar no seu blog, quero poder postar varias e varias vezes aqui e saiba que vc já conquistou um amigo de vdd. um bjo