quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Das almas

Essa ânsia de vomitar a própria alma

Que perturbada parece estar em um cubo,

Quer sair do corpo, quer a liberdade que ainda não tem.

Dois distintos seres disputando cada qual o seu desejo.

Em um a liberdade para voar e em outro o querer ficar...

Este não é o meu lugar, este local não me pertence,

Não nasci para ficar, meu lugar é no alto, nasci para voar...

Essa ânsia de sonhar, de correr, de libertar,

Rompe o cubo que aprisiona esta alma,

Vai a busca do que lhe pertence,

Procura o que lhe falta no anseio de aquietar...

Mas se não queres sucumbir os desejos desta alma,

Então porque não a libertas desta prisão?

Almas com asas não nasceram para ficarem presas ao chão,

Nem tão pouco para estarem a brincar de querer ou não.



Ana P. Quitério



6 comentários:

SAMUKA THEODORO OLIVEIRA disse...

ola ana este texto esta muito bom adorei esta postagem.

nossa alma anseia liberdade seus desejos são imenso e intenso.

um abraço beijos

Lucimar Simon disse...

Quao bom seria as asas, quao bom seria o espaço, quao bom seria a plenitudo da viagem ate o espaço negro da luz apagada, o grandes sonhos acordado, oh grandes desejos limitados, onde estao meu sapatos? onde estao minhas meias nao posso ir descalço...


beijao otimo texto

Ana disse...

Perdoe a demora pra responder ao comentário...
Samuka realmente nossas almas escondem desejos que nos levam a querer cada dia mais a liberdade de voar...

Beijossss

Ana disse...

Lucimar desculpe-me também a demora...
Que bom realmente seria se tivéssemos asas, poderíamos ir onde quiséssemos e a hora que quiséssimos...
Beijossss

ivone fonseca disse...

Verdade, se nascemos com estas grds asas entao deviamos no minimo nos permitir a voar...

Belo minha bela.

Ana disse...

Ivone bom seria mesmo se essas nossas asas não fossem cortadas diariamente, nossas asas precisam dos ventos soprando para voarmos dia-a-dia.

Beijosss querida