quarta-feira, 29 de julho de 2009

Jardim Secreto

Hoje quis fazer uma postagem um pouquinho diferente...
Vamos brincar de imaginar???
Então antes que comece a ler esse texto solte um pouquinho essa música e se puder o leia ouvindo-a.
E também tentem se imaginar sendo a (o) personagem dele...
E desejo a todos uma boa imaginação...


video


Ela passa correndo entre os corredores do labirinto, seus muros altos cobertos de folhagens verdes com pequenas flores brancas... Tão pequena, de fitinhas vermelhas nos cabelos, faz seu riso ecoar por entre as paredes...

Ela pára e começa a caminhar, de braços abertos, entre os estreitos corredores tocando os muros. Encoberta pela folhagem e pelo tempo, descobre uma pequena porta, com maçaneta dourada, levemente ela abre a porta e a adentra, encontra ali um jardim esquecido.

Pelos seus olhos vêem-se plantas secas, roseiras mortas, árvores com galhos secos, um balanço abandonado e uma fonte ao meio do jardim sem jorrar água... Mas para ela, tudo é encanto...

Suavemente a pequena toca as roseiras, e elas abrem-se em flores vermelhas e brancas. A cada passo seu a vida renova-se, as árvores ganham novas folhagens, flores abrem-se em cores diversas, a fonte jorra da mais límpida água, o balanço coberto em flores rosa e turquesas... A vida volta a reinar em um jardim que aos olhos parecia ser apenas um jardim morto. Tudo ganha vida.

Ela senta-se à fonte, passarinhos vêm para brincar com seus cabelos, a fazerem-lhe tranças, e cantarolar. Desenhando com um graveto borboletas ao chão, ganhando vida, borboletas azuis, vermelhas, amarelas e violetas.

Luzes coloridas invadem e cobrem de encanto o lugar, luzes como pequenas fadas a iluminarem e a dançarem, indo e vindo de todas e para todas as direções, a passarem envoltas da pequenina a sorrir, fazendo-a rodopiar e dançar, e um par de asas brancas para lhe presentear, para que ela voar e numa nuvem de algodão tocar...

O relógio da catedral badala, já são seis horas e já é hora de voltar, ela sai do jardim, mas antes de ir para a casa, suavemente amarra uma fitinha vermelha na maçaneta da porta, para que nunca se esqueça onde encontrar o seu jardim secreto...

Ana P. Quitério

4 comentários:

ivone fonseca disse...

Q lindo e doce ana, realmente ouvindo a musica não da para não se sentir lá e depois fechando os olhOs e ouvindo a musica .. nossa q levesa, adorei o encantamento sugerido.
Um grd bj linda t+

Ana disse...

Olá querida Ivone!
Foi exatamente o que senti quando tive essa cena em minha mente, nossa mente é a maior riquesa, nos leva a lugares onde jamais imaginávamos ir...
E fico muito feliz que você pode sentir tudo isso...

Beijos querida ^^
=***

SAMUKA THEODORO OLIVEIRA disse...

ola ana este texto nos mostra que podemos ir alem da imaginação, como disse nossa mente pode nos levar a qualquer lugar e mudar o que parecia impossivel basta querer.

Lindo texto ana
Um abraço e até mais beijos.

lita figueiredo disse...

Oi, Aninha!
Faz um bom tempo que eu não aparecia aqui em seu blog. Vim agora atrás de suas poesias para postar na comunidade "Poetas "Anônimos" e, como fiquei surpresa!
Menina, as poesias que vc cria e que eu já considerava lindas, só ganharam mais beleza, tornaram-se cada vez mais perfeitas. Seus textos e poesias superaram-se a cada nova postagem.
Minha linda, como fico feliz com isso! Vc é uma verdadeira poetisa, está a cada momento criando algo cada vez melhor...
Parabéns! Continue indo fundo em sua alma e nos presenteie com as maravilhas construídas pela sua imaginação, seu talento, sua inspiração.
Beijos, amo vc!