quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Quem é você?


Esses olhos acinzentados
Já não refletem mais o ser
Quem és? Quem és?
Já não a reconheço
Quem é você?
Um cristal partido e uma rosa despedaçada
Jogados ao chão
Essa embriagues
Esses risos atormentados de agonia
Meu sangue e minha alma escorrem pelo ralo...
Corra! Fuja!
Já não tem mais tempo...
Já é tarde...
Outra taça de vinho
Outros acordes no dedilhar do piano
E lá se vai o meu sono...
Hoje já não durmo, não penso, não hajo...
Olho a luz da lua,
Os vagantes pela rua
E eu aqui tão somente só
Fixa imagem no espelho,
Uma vida desperdiçada...
E grito:
-Lixo inútil! Nem a morte merece tal ser decrépito!
- Nem ti merece a vida!

4 comentários:

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Obrigada meu lindo...
Amo quando comenta...
Te amo anjinho!!!

lita figueiredo disse...

Minha filhinha, é tão triste esse poema que sofro por saber que é a dor em vc que o inspira. É tristemente bonito, é a manifestação de sua dor colocada em versos. Como eu queria que vc não sofresse assim! Vc é uma menina e meninas devem ser felizes. Te amo, minha linda amiga filhinha poetisa!!!!

Pi disse...

oi...

vou te add na lista d meus blogs preferidos. Sab, fiz um
=]

dai como quero ler o seu sempre e sempre deixá-lo à vista pq gostei dele, vou colocá-lo lá.