segunda-feira, 28 de julho de 2008

Enigma da Solidão


Palavras sem sentido

Perdidas, escondidas

Envoltas, soltas

No calor dessas noites onde quero estar.


Noites abandonadas nesse jeito de ser.

Um sorriso enigmático desconcertante

De brilho vacilante

Anjo latente, sábio, vivido.


Alucinados nesses sentidos subentendidos

De perpétuo amor num segundo desvairado

Assim de olhos cerrados espero por ti

Resgata me então do breu das noites.


Com esse olhar ofuscante

Meu anjo cintilante

Leia as entrelinhas de mim

Então decifra me.

8 comentários:

Vanessinha First disse...

Amiga q poema lindo!!! Parece q vc escreveu p alguem...(sera q eh qm estou pensando?)haha...


Te Amo minha Amiga linda!!!!

Ana disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Amiga entao nao escrevi pra ninguem conhecido... mas pode ser pra alguem especial... escrevi pro Hadevir conhece? kkkk
te amo amiga linda
beju

Renato disse...

Nossa Ana que poema maravilhoso, nossa a pessoa para quem vc escreveu isso deve tá no céu depois com esse poema. rsrsrrsrsr
Lindo!!!!
Um bjão!

Ana disse...

Renato como é bom te ver aqui...
Mas na realidade não escrevi ele pra ninguem não... rsrsrsrs
Fico feliz que tenha gostado...
Beijos
=***

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Ai Deus meu!!!!!!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Lita Figueiredo disse...

Lindo, Ana! Excelente! Adorei! Beijos!

Manoel disse...

Oi!
Parabens pelo blog. Os textos são muito bonitos...as fotos tbmbem são muito expressivas.
Abraços...
Manoel